(HAS) Herbário Prof. Dr. Alarich Rudolf Holger Schultz, Museu de Ciências Naturais da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul

O HAS foi criado em 1971 para conservar amostras da flora do Rio Grande do Sul, constituindo-se a maior parte de seu acervo de material procedente deste Estado, porém possuindo exemplares de outros Estados do Brasil, especialmente de Santa Catarina e de São Paulo. É Coleção credenciada pelo CGEN/MMA como Fiel Depositária de amostras do Componente Genético por meio da Resolução Nº5, de 29.08.2002. Possui 165 tipos nomenclaturais com registro fotográfico digital. As famílias com maior representação são Asteraceae, Bromeliaceae, Fabaceae, Myrtaceae e Poaceae além de Pteridophyta e Fungos liquenizados. Mantém uma Coleção de referência de espécies ameaçadas de extinção do RS. A coleção de algas conta atualmente com mais de 13.300 lotes em líquido, contendo primordialmente microalgas e cianobactérias de água doce, com representantes de seis grandes divisões e nove classes: as Cyanobacteria, Chrysophyceae, Xantophyceae, Bacillariophyceae, Cryptophyceae, Dinophyceae, Euglenophyceae, Chlorophyceae e Zygnematophyceae. Possui também mais de 6.200 lâminas permanentes de Bacillariophyceae. É o herbário com o maior número de lotes em líquido do Brasil.