(HERBAM) Herbário da Amazônia Meridional, Universidade do Estado de Mato Grosso, Campus Universitário de Alta Floresta

O Herbário da Amazônia Meridional foi criado e implantando no Campus Universitário de Alta Floresta em 15 de março de 2007, sendo registrado na Rede de Herbários do Brasil em 27/03/2007.  A infra-estrutura inicial do HERBAM (25m2) foi financiada pela Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Mato Grosso, FAPEMAT, a partir do edital PPP 0007/2206 (Programa Primeiros Projetos ), recursos do CETAM (Centro de Tecnologia da Amazônia Meridional). Com recursos do PPBio – Programa de Pesquisa em Biodiversidade – Amazônia Oriental, o herbário passou a 155 m2, tendo sala de coleção climatizada, recepção, triagem, curadoria, sala de estufa, sala de registro, sala de pesquisadores, almoxarifado. O KEW (Royal Botanic Gardens) e a FEC (Fundação Ecológica Cristalino) apoiaram esse inicio com a doação de mais de 3 mil exsicatas coletadas pelo Programa Flora Cristalino, incluindo 8 isotypus.

O HERBAM está inserido no norte do Estado de Mato Grosso onde ocorrem diversas tipologias florestais, desde Floresta Ombrófila Densa e Aberta, Cerrado, Campinaranas e Campos Rupestres da Amazônia. Atualmente o acervo conta com 7000 mil vouchers da região norte de Mato Grosso e sul do Pará, principalmente da bacia dos rios Teles Pires e Cristalino, incluindo exemplares dos municípios de Alta Floresta, Novo Mundo, Colíder, Nova Canaã, Paranaíta, Apiacás, Sinop, Itaúba, Claúdia, Ipiranga do Norte (MT) e Jacareacanga (PA). O HERBAM faz parte do projeto “Biodiversidade floristica da Amazônia Meridional – BIOFLORA, juntamente com o KEW e coordenação do RB, participa além do INCT Herbário Virtual, das redes de pesquisa: REFLORA, BIONORTE, PPBIO, Rede de Biodiversidade e Biotecnologia de Mato Grosso (RBBioMT/FINEP). Executa o Resgate da Flora da UHE Colíder da COPEL. Em breve teremos o banco de DNA associado ao acervo do HERBAM a partir de recursos do projeto de infra estrutura da FINEP.

Suas atividades de pesquisa e extensão são apoiadas por diversos projetos desenvolvidos pela curadora e auxiliados por mais 16 pessoas, desde bolsistas do CNPq (DTI, AT/ PPBio/REFLORA), SECITEC/ UNEMAT (IC), e da Pousada Mantega (IC/iniciativa privada), voluntários, e técnicos temporários contratados por meio de projetos.